Crítica – A Bela e a Fera

Crítica – A Bela e a Fera

Ficha Técnica:

Título no Brasil: A Bela e a Fera
Título Original: Beauty and the Beast
Diretor: Bill Condon
Roteiro: Evan Spiliotopoulos, Stephen Chbosky e Bill Condon
Data de estreia: 16 de março de 2017
Duração: 129 minutos
Elenco:
Emma Watson – Bela
Dan Stevens – Príncipe Adam / Fera
Luke Evans – Gaston
Ewan McGregor – Lumière
Ian McKellen – Cogsworth
Emma Thompson – Sra. Potts
Kevin Kline – Maurice
Josh Gad – Le Fou
Audra McDonald – Garderobe
Gugu Mbatha-Raw – Plumette
Stanley Tucci – Cadenza
Nathan Mack – Chip
Adrian Schiller – Monsieur D’Arque
Hattie Morahan – Agathe

Trailer do filme:

A Bela e a Fera é baseado no filme de animação de 1991, que conta a fantástica jornada de Bela, uma jovem linda, brilhante e independente que é aprisionada pela Fera em seu castelo. Apesar de seus medos, ela se torna amiga dos serviçais encantados e aprende a enxergar além do exterior horrendo da Fera e percebe o coração gentil do verdadeiro Príncipe que existe em seu interior.

Logo no começo, o filme já apresenta coreografias, cores, canções e cenários cheios de energia sobre a vida de Bela e na pequena vila onde todos se conhecem. É impressionante as semelhança que o filme conseguiu trazer da animação clássica de 1991.

Crítica – A Bela e a Fera

O longa além de manter todas as canções da versão original, conseguiu trazer também novas canções. Apesar de que as novas canções não sejam tão marcantes, elas não chegam a quebrar o clima do filme. A protagonista, interpretada por Emma Watson, consegue entregar uma boa atuação e nos cativar bastante com a sua bela voz.

O Fera que é interpretado pelo Dan Stevens,  ficou um monstro com efeitos visuais surpreendentes, além disso, conseguiu transmitir realidade e emoção em suas feições.

Crítica – A Bela e a Fera

O vilão Gaston, que é interpretado por Luke Evans, conseguiu fazer uma atuação magnífica e extraordinariamente parecido com a versão original da Disney. O personagem Le Fou, interpretado por Josh Gad, foi o melhor personagem do filme na minha opinião. Foi responsável para ser o alívio cômico e trazer boas gargalhadas e momentos engraçados da história.

Crítica – A Bela e a Fera

O filme conseguiu unir muito bem a nostalgia da animação clássica e acrescentar elementos novos no passado dos personagens, não foi apenas uma simples cópia. Isso mostra que a Disney realmente possui um talento de conseguir recontar histórias clássicas e cativar um novo público e também para inovar em novas franquias.